23.5.13

CAT POWER

alguns momentos da vida são tão surreais que passam como sonho!

foto de Fabiano Alcântara

Cat Power tem uma voz linda e rouca, sensual e triste, faz careta pra cantar e fica ainda mais charmosa, é séria e brincalhona, desengonçada e delicada. do jeito mais sem jeito faz questão de mostrar sua paixão em cada palavra e de demonstrar todo carinho com as pessoas, suas mímicas indecifráveis e amorosas fecharam uma noite mais que especial pra mim, e pra tanta gente.

conheci a Chan há uns oito anos ou mais, dançamos muito no dj, a Ju e o Ulisses foram os primeiros a me contar com os olhos brilhando sobre suas músicas e seu jeito. desde o começo já ouvia falar e lia sobre seus shows, sobre como um sentimento de inadequação e insegurança muitas vezes faziam a voz falhar ou até mesmo com que fugisse do palco, meio como AC, que em seu primeiro encontro com a professora Helô, ficou com a bochechas tão vermelhas e saiu correndo...

devo dizer, narcisista mesmo: como isso me encanta!

a Chan é trilha dos meus amores, sonhos e desilusões, quantas vezes cantamos juntas um fim de namoro, um amor maior do que o peito pode levar, angústias e uma vontade de voar... sea of love, good woman, maybe not, the greatest, where is my love, the moon, free, nothin' but time, 3, 6, 9 e tantas outras. as músicas novas são lindas.

o show foi incrível, os chatos podem reclamar de qualquer coisa, do atraso, da mudança nas letras e sei lá mais o que... mas pra mim, assim como a Ju falou, a CAT PODE TUDO, as músicas são dela e ela faz a interpretação que bem entender e que estiver combinando com o humor do dia, e, porra! sua voz é tão linda, que só resta se entregar e se derreter...

as gravações disponíveis não são muito boas, mas escolhi essas duas que mostram um pouquinho da maravilhosa voz e incrível presença que tivemos.

Bully, pelo Lucas Carstens, não consegui colocar o vídeo aqui, mas é a gravação em que se pode ouvir melhor: http://www.youtube.com/watch?v=hgn4OM8MoKs&list=UU1pKLILyNRBA7Zf70Q1o-8Q&index=3

e Metal Heart, pela Sam Cabrinun:





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário