8.4.14

coleção


Jogo de Cena, Eduardo Coutinho, 2007
 
as vezes me pergunto até que ponto posso viver tanta realidade, tanto pé no chão...
tenho meu pezinho lá nas artes, na música, no drama
gosto de fazer de conta
de sonhar
de florear histórias e deixar tudo mais emocionante
a pausa, a palavra e a respiração na medida para impressionar
o álbum, a coleção
minha lista de favoritos
o exagero nas cores
até de olhos fechados sigo a luz do sol

as vezes queria só me sentir mais livre para exagerar
pra olhar nos olhos e ser
irresponsavelmente, ingenuamente, irremediavelmente
esperançosa

4.4.14

sobre as cores


a cor azul ganhou um significado totalmente diferente depois dessa mulher


dos amores ficam os livros
as intenções
as lembranças

uma chave de portão
uma sala

a casa e o jardim
tortos

do amor
nasce o plano infinito do ponto de fuga
amor sujo
puto

real

um amor que aperta por tomar todo o espaço

puxa o ar
o olhar
a carne
os pensamentos
e todos os sentidos

é tudo
nada logo quanto muda
a  tua
boca
cara
beijo
seio

é nada
quando tudo pouco quer
gente
bicho
coisa
espírito

é coleção de palavras
é brincar de encontro
de esconde-esconde
de tudo ou nada

de colorir todas as coisas


27.3.14

o nome das coisas


adara sánchez anguiano
 
dar nome as coisas
aos sentimentos
a cada parte do corpo
vontade
sensação

nomes suaves
saídos de um sonho
e fortes
que enrubescem as bochechas
e fazem rir

derretendo
segurando
e soltando

querendo ficar

quando vai
sinto falta

quando volta
olha
toca

gosta

fácil é ser feliz
com você

fácil é ser
eu
assim
pra você

11.3.14

xácra



o céu de Atibaia


e o carnaval passou tranquilo, com rumo bem distante de qualquer aglomeração ou barulho... um tanto mais cheio de luz esse ano, com o toque especial da versão eletricista, engenhoco e psicodélico do Carlinhos... vocês precisam ver a máquina de cortar grama made in Conceição! rsrs

a purpurina ficou por conta dos olhinhos brilhantes e sorrisos charmosos das minhas irmãs, duplas ou rivais no buraco, sorridentes ou mal humoradas, tagarelas ou caladas, como amo essas meninas lindas!

a folia foi por conta do Caio com seu jogo de engano espoleta, só não sei dizer se era melhor quando enganava a gente ou quando era enganado, risada garantida e gostosa por infinitas vezes...

música, céu estrelado, tempero de limão, comida na lenha e sol, a "xácra" continua sendo um refúgio, nosso jardim-floresta salvo da cidade grande.











 
 
 

24.2.14

o menino e o mundo




depois de um tempo sumida, resolvi dar uma passada por aqui. a motivação veio do filme o menino e o mundo, que com sua visão lírica e crítica de um pouco de tudo que anda acontecendo por aí, despertou uma vontade que sempre está guardada no coração, a vontade de expressar, seja em palavra, papel recortado, costura ou desenho, é uma vontade de misturar um pouco do que está dentro com o que está fora, e quem sabe colorir um pouquinho mais os dias.

os últimos tempos foram de muitas novidades e estou devendo uma organização das ideias para mim mesma. uma composição pra guardar, pra olhar cheia de alegria tudo de bom e tudo o que mesmo sendo difícil faz parte do caminho e dos ensinamentos aprendidos.

posso adiantar que nós, os meninos e o mundo, estamos bem, ora levados pelo vento, ora descendo uma ladeira na bicicleta, ouvindo a música de todos os sons, olhando as cores e as formas de tudo o que acontece, respirando fundo pra enxergar e desvendar os mistérios, muito bem acompanhados pela vida. obrigada!

ps. nova paixão: céu de lápis de cor.
ps 2. o menino e o mundo ainda está em cartaz nos cinemas do Espaço Itaú.